Bem-vindos!

Toda noite, antes de dormir, penso em vocês, e programo algo bem bonito para postar. Assim, vou dormir feliz, com pensamentos bons.
No dia seguinte, após acordar e fazer o que costumamos fazer nas manhãs, sento-me e posto algo bem bonito para vocês.
Assim, meu dia começa bem!

quinta-feira, 15 de março de 2012

O amor de Ze melado (tirado de alguma revista velha -Estórias do povo brasileiro)

imagem surrupiada do blog da Margarida

Bom dia gente do Bem! Desde os 12 anos tenho o costume de guardar recortes de fotos e textos que me agradam. Esta história veio sem autor.  

A doce história de Margarida e seu amor secreto
- Zé Melado! Olha o Zé Melado!

O Zé é feio, ruivo, com o cabelo melado. Tem uma carrocinha de algodão -doce e quem come  fica melado.
- Me dá um algodão, Zé Melado.
-Eu quero dois.
Zé não se incomoda, sorri muito e brinca com as crianças.
- Come ligeiro que esse algodão voa e vira nem.
- Vira nuvem?
-É, está vendo aquela nuvem lá? Fui eu que fiz. Eu passo a notie faendo nuvem doce e de manhã solto no ar.
-Se passa um passarinho por ela fica todo melado.
-É. Como eu.
- Só que você é feio, zé Melado. 
             Margarida é a moça mais bonita do lugar. Faz suas tranças na janela todas as manhãs.  Da sua esquina Zé Melado vê Margarida trançansdo so longos cabelos castanhos, cantando e olhando para nada, da janela do seu quarto. Quem passa na calçadas chega a parar para ver- que moça linda, que  cabelos- mas Margarida nem liga. 
Zé Melado acompanha tudo.
Zé melado tem um sonho. Um dia, Margarida o chamará da sua janela.
-Eu?- dirá o Zé incrédulo- Eu?
Margarida fará que sim com a sua cabeça. Zé Melado abandonará sua carrocinha e sairá correndo. Pulará o muro da casa de Margarida e ficará parado,arfando como um cachorro.
Então ela atirará uma trança para o chão e dirá coma  cabeça: sobe.
E Zé melado se agarrará  à trança para subir e suas meladas se colarão aos cabelos castanhos e ele acordará esperneando.


Mas, a verdade é que num sábado, na quermese da Igreja..
Toada a cidade está lá. Zé Melado vende seu algdodão. As moças camihnam de braços dados por entre as barracas, os rapazess fazem de tudo para atrair a atenção. E súbito,c aminhando entre uma tia e um irmão menor, aparece a moça das tranças. As outras moças desaparecem como algodão doce na boca. Todos os olhso de homem estão na Margarida.
O irmão puxa Margarida e atia para a carrocinha de Zé Melado.
- Me dá uma ladodão, Zé Melado.
Margrida olha para longe. A tia cata o troco para pagar o algodão.
O coração de Zé melado bate mais alto do que o alto-falante.
" De um admirador secreto para a moça das tranças, Nelson Gonçalves canta.."
Margarida nem likga. Desaparece no meio da multidão. Por pouco Zé Melado não vai atrás com sua carrocinha. Nuvens de graça, Margarida, o que você quise, Margarida.
" Na esperança do seu amor, um coração solitário oferece para a moça de tranças..."
Zé Melado tem vontade de calar a boca do alto-falante à força, arrancar um fio e acabar com aquilo. Entao ouve.
" A moça de tranças oferece ao vendendor de algodão O Tema de Lara.."-Aí Zé Melado!
-Aí Zé Melado.
Zé Melado se atrapalha todo.  Faz tanto algodão de uma vez só que enche a carrocinha, mela tudo . Não consegue parar. A carrocinha anda sozinha cheia de aldodão. Zé melado vai atras, fazendo mais algodão.


Nunca mais viram Zé Melado na cidad,. Dizem que durante vários dias uma enorme nuvem cor de rosa ficou pairando sobre a cidade até que o vento levou,m as isso deve ser história.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário